segunda-feira, 17 de outubro de 2011

Nó no pescoço

Como diria Jerry Seinfeld, são os ternos e os smokings que inspiram as mulheres a dizerem que os homens são todos iguais. Em uma festa, num casamento, são poucos que conseguem sair do lugar comum, se destacar.
Na verdade, um simples nó de gravata ou um colarinho diferente, podem desmentir tudo isso.
Você é daqueles que, quando tem que usar gravata, dá um nó qualquer ou corre pro youtube para aprender como se faz? Se você é um desses, mas quer entender melhor como se usa uma gravata e como se faz um nó de verdade, aqui vão algumas dicas bem úteis:

Nó simples:
Simples mesmo. É o mais fácil de fazer e o mais usado. Indicado para camisas slim fit, gravatas mais estreitas e colarinhos mais fechados, pois ele é pequeno. Ele chega a dar um tom meio informal no figurino, podendo ser usado até com um jeans, camisa e gravata.


Nó duplo:
Mais volumoso, ideal para gravatas de tecido mais leve e fino. É praticamente igual ao nó simples, a diferença é que requer uma volta a mais. Vai bem com qualquer tipo de camisa, especialmente nas de colarinho mais aberto, os chamados colarinhos italianos.



Nó Semi-Windsor:
Ou "nó francês". Semi mesmo, porque não é nem muito fino nem muito grosso. Se encaixa bem com qualquer camisa e qualquer colarinho.


Nó Windsor:
Ou "nó inglês". O mais complicado, mas também, o mais espesso. É daqueles pra quem quer mostrar que sabe de nó. Fica melhor com as camisas de colarinho italiano, que acomodam melhor o volume do nó.


Nenhum comentário:

Postar um comentário