segunda-feira, 6 de fevereiro de 2012

O estilo do Planeta (Atlântida 2012)

Como muitos sabem, no último fim de semana foi o Planeta Atlântida 2012.

Independente de gostar ou não das bandas e das músicas, acho que vale a oportunidade que temos aqui de comentar o que de melhor e de pior apareceu nos dois dias do festival. Se você não é fã de nenhuma das bandas/artistas presentes nessa lista, não se preocupe, ligue o Black Keys no volume máximo e leia as considerações abaixo:

Começando pelo maior sucesso da música desde Thriller do Michael Jackson. Michel Teló ilustra muito bem aquela história de que o xadrez virou uma padronagem padrão (com o perdão da redundância), padrão de cantor sertanejo. Mas isso quer dizer que xadrez "saiu de moda"? Não, isso seria uma visão completamente hipster. Quer dizer apenas que mais pessoas estão usando.


Viu? Ó o Luan Santana de xadrez aí.


Taio Cruz. Desculpem a minha ignorância, mas não sei quem é esse. Mas independente disso, vê-se que ele soube escolher a roupa direitinho. Sem abusos, nem de cores nem de medidas. Só podia ter tirado os óculos escuros. Pô, é de noite, né?


Já o Sean Kingston não mandou tão bem. Seria uma ótima escolha, se ele não tivesse apostado no colete camuflado. Como já foi dito aqui, se você está na dúvida, aposte no "menos" que ele vira "mais". E o correntão de ouro é o "mais" que virou "menos".


O Serginho Moah foi outro que acertou em apostar na discrição. Calça jenas, camisa branca e colete. Perfeito. A única ressalva vai para a calça, que poderia ser um pouco menos justa.


Lulu Santos. Por que, Lulu? O chapéu levantado, o lenço estampado amarrado no pescoço e o colete sem camisa deixaram o figurino no mínimo estranho. Na próxima vez, vale aprender com o Serginho Moah.


O Lucas da Fresno é um cara que sempre fica no quase. Quase acerta no visual. Dessa vez, ele mandou super bem na jaqueta de couro, bem rock and roll, mas não mandou tão bem nem na camiseta super decotada nem na calça super apertada.


O Rogério Flausino é outro que não dá para dizer que errou, nem que acertou. Dessa vez ele chegou mais perto do segundo, não fosse pela calça e a jaqueta, um pouco menores do que o adequado.


O Dinho Ouro Preto é mais um que adora errar no tamanho das roupas. Ok que você é magro, mas não precisa usar uma roupa tão apertada. Nesse caso, a combinação tá ótima, só a camiseta que lavou e encolheu.


O Marcelo D2 é um cara que merece respeito. Ele consegue, na maioria das vezes, mostrar as suas origens em figurinos estilosos. Neste caso não foi bem assim. Ele mandou bem ao escolher uma camisa de manga curta e uma bermuda, mas errou ao escolher uma estampa mega chamativa e um tênis(ão) branco.


Chorão e o Charlie Brown. Um clássico do Planeta Atlântida. E um clássico de erro no tamanho do manequim. Nem precisamos falar muito, tudo nele é exagerado, é largo, deixando ele mais largo ainda.


2 comentários: